• Rosiane Lopes da Silva

Importância sociocultural das bibliotecas comunitárias

“O que a gente faz é trazer informação através da literatura, através de palestras, através até mesmo da convivência diária com as crianças da comunidade”.

As bibliotecas comunitárias são espaços criados pelas comunidades e também mantidos por elas, geralmente sem vínculos com o poder público.


Essas instituições surgem como uma maneira de democratizar a leitura aos cidadãos de regiões pouco valorizadas e mais pobres, visto que as públicas — mantidas pelo governo — tendem a se concentrar em regiões centrais dos estados o que impossibilita o pleno acesso a esses ambientes.


“Os locais de acesso público, no caso das bibliotecas, são um dos principais meios de obtenção de informação que as pessoas da periferia podem ter, pois elas não precisam escolher entre ter acesso aos arquivos da biblioteca ou comprar comida, pagar contas, sobreviver, pois o acesso é livre”, aponta Larissa Proença, estudante de biblioteconomia da Universidade de São Paulo.


As áreas periféricas em que essas instituições estão localizadas são desprovidas, por vezes, de espaços culturais e informativos, como cinemas, teatros, museus, livrarias, etc.

Assim, além de possibilitarem o acesso à literatura, as instituições comunitárias beneficiam a comunidade com ações socioculturais variadas, atuando no desenvolvimento intelectual dos civis. “O que a gente faz é trazer informação através da literatura, através de palestras, através até mesmo da convivência diária com as crianças da comunidade'', relata Natanael Souza, gestor fundador da Biblioteca Comunitária Espaço do Saber de Suzano e Projeto Formando Leitores, sobre o papel de sua biblioteca.


A biblioteca Espaço do Saber atende majoritariamente o público infantil e busca tratar de assuntos que vão além da literatura. “Quando emprestamos livros, nós passamos informações para as crianças de direitos, deveres, informação de perigos da pedofilia, isso numa linguagem apropriada, de uma forma lúdica. Falamos sobre ecologia, sustentabilidade e outros assuntos muito atuais”, diz Natanael.


Natanael na fachada da Biblioteca Comunitária Espaço do Saber [Imagem: Arquivo pessoal/Natanael]


O espaço coordenado por Natanael está fechado neste período de pandemia e passa por reformas. O projeto Formando Leitores foi inserido no benefício da Lei Aldir Blanc e com os recursos recebidos a biblioteca foi ampliada. Agora, uma das dificuldades é aparelhar a instituição, segundo o gestor ainda são necessárias prateleiras para que a Espaço do Saber possa ser reaberta ao público.


Antes de conseguir esses recursos, a biblioteca sempre foi mantida com base na ajuda e contribuição de parceiros externos à comunidade em que está localizada. Conforme o gestor, a própria fachada da instituição será grafitada por voluntários.


“O projeto (Formando Leitores) é mantido por colaboradores que, a maioria, nem conhecemos pessoalmente, colaboradores que nós buscamos através da internet, através das redes sociais”, relata Natanael.


A Espaço do Saber conta, atualmente, com um acervo de aproximadamente 3 mil livros todo montado pela doação das obras. Natanael conta que pretende realizar uma campanha de arrecadação de livros assim que conseguir as prateleiras necessárias.


7 visualizações0 comentário