• Wálace de Jesus

Pandemia afeta emocional dos idosos

Atualizado: 30 de Nov de 2020


Distúrbios emocionais são protagonistas entre a população idosa nos bairros Jardim Gibeon e Sol Nascente de Mairiporã-SP


Por Wálace de Jesus


Unidade de Saúde responsável pelas comunidades. [Foto: Wálace de Jesus]

De acordo com a equipe de Agentes de Saúde de Mairiporã (SP), a saúde mental da população idosa dos bairros Jardim Gibeon e Sol Nascente foi a mais afetada durante o isolamento social, que começou em março deste ano. A mudança de rotina é um dos principais motivos para o diagnóstico.


As comunidades Jardim Gibeon e Sol Nascente, localizadas no distrito industrial Terra Preta, em Mairiporã-SP, apontam a maioria dos idosos como o principal grupo afetado emocionalmente pela quarentena. Segundo a agente de saúde Claudivania Nascimento Pereira Santos, os moradores mais jovens não se abalaram tanto, porém “os idosos que tinham o costume de realizar atividades frequentemente foram os mais afetados pela pandemia”.


Claudivania cita o exemplo de um morador que não quis se identificar:

“Podemos citar um caso que foi relevante e chamou nossa atenção: um senhor de 72 anos que era ativo em suas atividades religiosas chegou a emagrecer aproximadamente 10 quilos, desenvolveu TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo) e depressão por conta do afastamento da igreja”.

Para o Departamento de Saúde Mental da Organização Mundial da Saúde (OMS), “idosos, especialmente em isolamento social e aqueles com problemas cognitivos como demência podem se tornar ansiosos, estressados, com raiva, agitados e distanciados durante a quarentena”. Em relação às crianças e aos adultos, independentemente de gênero, Claudivania explica que poucos sentiram falta da antiga rotina social ou desenvolveram algum distúrbio emocional durante o isolamento social. “Já os idosos sentiram bem mais”, relata.


Para a profissional da saúde, “o cansaço mental é inevitável com ou sem a pandemia”. Mas ela também repara que com a enxurrada de informações no início da quarentena foi muito complicado manter a sanidade mental, tranquilizar e informar os moradores. Uma das medidas implementadas pela equipe de agentes de saúde foi a assistência de prevenção e promoção à saúde na unidade de Estratégia de Saúde da Família dos bairros.


A equipe é formada por sete agentes de saúde, que atuam no bairro Jardim Gibeon e redondezas. Andréa, Claudivania, Daniela, Luciana, Maria, Michelini e Jeferson, são os nomes dos responsáveis pela saúde da população da comunidade. Segundo as agentes, as principais dificuldades foram a falta de aderência ao uso das máscaras e a forma correta de utilização delas.

“Em relação a nós, servidores da saúde, também fomos afetados. Foi tudo muito novo e ainda está sendo”, finaliza.
Agentes de Saúde e gestores da UBS. [Imagem: Arquivo Pessoal/ Andrea Cleice]