• iniciacaoaojornali

Conheça o Projeto Redigir

Fundado por estudantes da Escola de Comunicação e Artes da USP, o projeto oferece aulas gratuitas de cidadania e comunicação para pessoas de baixa renda


Por Ester de Brito e Gabriela Varão



[Reprodução/Instagram/@projetoredigir]


Segundo a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 21% da população jovem, entre 25 e 34 anos, possui ensino superior no Brasil, por isso iniciativas como o Projeto Redigir são essenciais. Criado em 1999 por estudantes de jornalismo da Universidade de São Paulo (USP), o projeto começou como um cursinho pré-vestibular, focado em gramática e redação.


Atualmente, o principal foco do programa é a democratização da educação, colaborando para que cidadãos de baixa renda e com pouca escolaridade consigam aprimorar suas habilidades de expressão através da língua. No projeto, os alunos têm acesso a conteúdos como cidadania, gramática, redação, comunicação oral e debates sobre temas políticos e sociais. Ao fim do curso, o aluno adquire o certificado de conclusão gratuitamente.


As aulas são planejadas por alunos da própria universidade e ocorrem dentro do campus. O diferencial é o uso da metodologia inspirada na filosofia de Paulo Freire. Fugindo do modelo tradicional, a iniciativa parte do princípio de que o conhecimento deve ser uma construção coletiva feita a partir de uma troca de saberes entre o educador e o educando. “Quando eles (educadores) traziam as informações, era legal porque a gente (educandos) não estava em uma posição de ficar quieto e ouvir. Era um lugar de troca e diálogo”, comenta Lucas Gregório, ex-educando e aluno de Letras da USP.



Nas redes sociais, o projeto divulga indicações culturais e oferece informações socioeducativas. [Reprodução/Instagram/@projetoredigir]


Ele também conta que quando saiu do ensino médio não entendia nada de política, mas isso mudou graças ao projeto. Na época, Lucas estava prestando vestibulares e o programa o ajudou a ampliar seu repertório sociocultural. “Eu gostava da dinâmica das aulas. A gente chegava e o primeiro momento era trocar informações culturais, tinha muitas indicações de filmes, teatro e livros.”


As inscrições para o Projeto Redigir abrem semestralmente. Para fazer parte é necessário estar atento às redes sociais do projeto, Facebook e Instagram, em que são divulgados os locais e os períodos de inscrição. Por ser voltado para a população com baixa escolaridade e renda, a seleção ocorre com base em alguns critérios: condição socioeconômica, não ter estudado em universidades públicas, ter concluído o ensino fundamental e ter pelo menos 16 anos de idade — não há idade máxima. No dia da inscrição, é preciso levar a cópia do RG, cópia do comprovante de renda de todos que contribuem para a renda da casa e cópia do comprovante de escolaridade do último nível cursado.


Estudantes da USP também podem fazer parte do projeto, mas apenas como voluntários. Os voluntários compõem diferentes núcleos, como o pedagógico, institucional, recursos humanos e comunicação.



12 visualizações0 comentário