• Clarisse Macedo

A periferia inspira livro lançado nas vésperas das eleições

A poucos dias das eleições, livro inspirado na periferia é lançado e ressalta a participação da cultura na resistência periférica

Por Clarisse Macedo


O Boteco da Dona Tati, na Barra Funda, recepcionou Tiaraju D’Andrea, coordenador do Centro de Estudos Periféricos, para o lançamento de seu livro “A formação das sujeitas e dos sujeitos periféricos”. Com base em seu doutorado de 2013, Tiaraju, que nasceu e cresceu na periferia, explicou nas páginas a importância da arte e da cultura produzidas nas periferias como uma maneira de pessoas periféricas resistirem ao processo da economia que prega a livre iniciativa, mas que nem sempre alcança a periferia. O evento aconteceu no dia 29 de setembro de 2022, nas vésperas das eleições no país.


Prefaciador do livro e professor de jornalismo da USP, Dennis de Oliveira abre a conversa ressaltando a importância de obras que tratam a periferia enquanto ativa e cheia de sujeitas e sujeitos participativos. Nos últimos meses de campanha eleitoral, o presidente da república Jair Bolsonaro aprovou um aumento no valor do Auxílio Brasil, benefício que alcança a periferia, e alguns votaram contra alegando que poderia ser uma maneira de atrair os votos do eleitorado periférico. O professor explica que isso é também uma forma de enxergar a periferia como público fácil de manipular - opinião enganada, como bem explica o autor na obra.

[Imagem: Reprodução/YouTube Editora Dandara]


Um dia depois de o segundo turno ser confirmado entre Lula e Bolsonaro, já se sabe que Lula, ex-presidente e atual candidato a presidente da República, venceu na capital paulista, com destaque às periferias. Na mesma lógica, também na segunda-feira pós primeiro turno (3), o atual presidente, Jair Bolsonaro, antecipou o pagamento do benefício. Dennis termina refletindo que, antes mesmo das grandes academias, a militância da periferia é pela vida. Às vezes é pelas ideias, mas é antes pela existência.


[Imagem: Reprodução/ Mapa de apuração O Globo]


Tiaraju D’Andrea, autor da obra, também explica que houve um processo seletivo de informação, renovação de algumas páginas e adaptação da linguagem, já que a linguagem acadêmica não é acessível e a intenção é atingir cada vez mais públicos. Explica também que existe uma opinião comum negativa sobre pessoas da periferia e, no livro, cita Racionais MC's e diversos outros coletivos que participam da reformulação dessa opinião.


Em 2018, houve um falso discurso de que a periferia elegeu a direita, mas tanto em 2018 como em 2022 os dados revelam que “Quanto mais periférico o distrito, maior a votação na esquerda [pois] nessas regiões há uma tradição de movimentos populares retraduzida na juventude”, segundo o autor Tiaraju sobre essas eleições. A esquerda ganhou as eleições na cidade de São Paulo, e as periferias tiveram o peso principal nessa vitória.


O livro já está a venda no site oficial da editora Dandara e fecha a trilogia de livros do autor: Reflexões Periféricas: propostas em movimento para a reinvenção das quebradas, 40 ideias da periferia e, o último, A Formação das Sujeitas e dos Sujeitos Periféricos.


68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo